Ao chegar à casa do idoso, que completaria 111 anos em 2014, as autoridades encontraram apenas seu esqueleto…

Autoridades
japonesas foram até a casa de Sogen Kato, tido como o homem mais velho
de Tóquio, capital do país, em seu 111º aniversário. Mas, infelizmente,
chegaram 30 anos atrasados para a festa: só encontraram o esqueleto
mumificado do idoso.
Segundo a “BBC”,
representantes da secretaria do Bem-Estar Social, ao chegarem à casa de
Kato, foram atendidos pela neta dele. Ao atendê-los, ela teria dito que
seu “ditchan” (avô em japonês) não queria ver ninguém.
Ao menos desde o
começo deste ano, as autoridades tentavam contatar Kato, mas sua família
sempre dava uma desculpa para evitar a visita. Além disso, o “ditchan”
continuava a receber pagamentos de uma pensão pela morte da mulher há
seis anos, que somavam 9,5 milhões de ienes (R$ 248 mil).
A polícia então
forçou a entrada no quarto de Kato. Na cama, encontraram seu corpo
mumificado, vestindo pijamas e coberto por um lençol, segundo a agência
“Jiji Press”.
Depois da
descoberta, os parentes disseram à polícia que Kato confinou-se em seu
quarto há 30 anos e se tornou um “buda vivo”. No Japão, a prática é
conhecida como “Sokushinbutsu”, quando monges alcançam o estado da
divindade pela automumificação –eles se alimentam só com água e sementes
e meditam até a morte.
“A família dele
sabia que o idoso estava morto todo esse tempo e fingiu que nada havia
acontecido. É muito esquisito”, disse Yutaka Muroi, representante da
secretaria de Bem-Estar.

Comentários... Comente via Facebook: